Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Painel do Agronegócio chega à sexta edição em 2022

Documento produzido pelo DEE/SPGG contribui para a análise conjuntural e estrutural do setor

Publicação:

painel do agronegócio do RS 2022

Publicação que traz informações sobre o impacto da agropecuária e do agronegócio na economia gaúcha, o Painel do Agronegócio do Rio Grande do Sul teve sua sexta edição divulgada nesta terça-feira (30). Produzido pelo Departamento de Economia e Estatística, vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (DEE/SPGG), o documento apresenta dados dos principais segmentos do setor, da agricultura familiar e cooperativismo, além da indústria de máquinas agrícolas. Além das atualizações das estatísticas e análises, a principal novidade deste ano é a introdução de uma seção específica sobre o padrão de emissões de gases de efeito estufa na agropecuária e o detalhamento das informações sobre as empresas startups gaúchas dedicadas ao desenvolvimento de inovações para o agronegócio.

A publicação desenvolvida pelos pesquisadores Rodrigo Feix, Sérgio Leusin Júnior, Bruna Borges e Mariana Pessoa foi criada em 2015 e é tradicionalmente lançada durante o período da Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários (Expointer). O objetivo do estudo é contribuir para a análise conjuntural e estrutural do setor e ampliar o entendimento da sociedade sobre o seu papel no processo de desenvolvimento econômico gaúcho e brasileiro.

Emissões

Em relação aos Gases de Efeito Estufa (GEEs), em 2020 o Rio Grande do Sul emitiu 84,3 milhões de toneladas de CO2 equivalente, número 4,0% menor que o verificado em 2019 e 7,5% inferior ao de 2010, o que o levou a ocupar a décima colocação no ranking dos estados brasileiros. Do total das emissões no RS em 2020, a agropecuária foi responsável por 53,3%, enquanto, no Brasil essa relação foi de 26,7%.

Conforme dados que constam no documento do DEE/SPGG, das emissões brutas da agropecuária, a pecuária foi responsável por 58,5% do total, sendo a bovinocultura de corte a atividade com maior participação (71,0%), seguida do gado de leite (17,2%) e dos suínos (6,3%). As culturas agrícolas foram responsáveis por 22,7% do total emitido pela agropecuária no Estado em 2020, sendo o arroz o cultivo com maior impacto (83,9% das emissões da agricultura). Em 2020, assim como tende a ocorrer em 2022, as estatísticas de emissões na agricultura foram afetadas pela estiagem severa que impactou a produção.

Startups

A publicação revelou ainda a existência de mais de uma centena de startups gaúchas que ofertam soluções para o agronegócio (Agtechs). O Rio Grande do Sul é o quarto estado do país com maior número de Agtechs, que estão concentradas principalmente em Porto Alegre, Santa Maria e Pelotas. As Agtechs gaúchas dedicam-se principalmente ao desenvolvimento de produtos e serviços para a gestão das propriedades rurais, oferta de alimentos inovadores, marketplaces e plataformas de negociação, além de soluções alinhadas à agricultura digital.

Agronegócio

O agronegócio contempla as atividades agropecuárias (agricultura, pecuária, silvicultura e exploração florestal e pesca), produção de insumos e de bens de capital (fertilizantes, defensivos, máquinas agrícolas), indústria de transformação de matéria-prima agropecuária (alimentos, biocombustíveis, fumo); e atividades especializadas na oferta de serviços agropecuários e na armazenagem, distribuição e comercialização dos produtos do agronegócio.

- Clique aqui e confira o material completo do Painel do Agronegócio

Texto: Vagner Benites, Ascom/SPGG

Departamento de Economia e Estatística